O preconceito não combina com o ser humano

Pessoa segurando carteira de trabalhoO preconceito infelizmente ainda é algo presente dentro  das empresas, as vezes de forma explícita outras vezes disfarçada.  Ao contrario do que  muitos pensam a discriminação ainda é muito comum e não pode ser tratada como algo normal da nossa sociedade.

Dados disponibilizados por uma pesquisa feita mostram que 38,2% das mulheres sofrem algum tipo de preconceito.

A mulher tem conquistado cada vez mais espaço no mercado de trabalho e hoje ocupa uma boa porcentagem de cargos  de liderança, porém pelo fato  de serem do sexo feminino os salários ficam abaixo do que um homem que ocupa o mesmo cargo e executando as mesmas atividades. Ainda há pessoas que julgam a capacidade profissional do individuo pelo gênero e não pela sua dedicação, experiência e conhecimento profissional.

Os negros também ainda sofrem pela sua raça, com salários menores que o do mercado, carga horária de trabalho maior e ausência de proteção social. Lembrando que qualquer tipo de discriminação contra a raça negra, hoje no Brasil, é crime! Mas como já citado anteriormente a discriminação pode ser disfarçada, então por mais que tenha uma lei que pune quem pratica esse ato, ele ainda é presente em diversos ambientes.

O deficiente físico a pouco tempo foi amparado, por uma lei que já está em vigor, que obriga a empresa de médio e grande porte a terem uma porcentagem de vagas para eles.  O que não muda o fato de serem discriminado por sua condição, mesmo que suas limitações físicas ou intelectuais não o impeçam de executar suas tarefas com excelência.

Diversos grupos da sociedade sofrem por serem “diferentes”, como dizem, a primeira impressão é a que fica. Julgam o outro pela sua aparência e não pelo seu caráter, esforço e interesse.  Muitas pessoas ainda não aprenderam que todos têm o direito de se assumir, e sentir orgulho pelo que são, ser negro, branco, pardo, mulher, homem, homossexual, deficiente, não diz nada sobre sua capacidade ou quem é você.

O preconceito jamais deve ser aceito ou tratado com normalidade, é uma atitude retrograda e ignorante. Todos somos seres humanos, merecemos respeito e a oportunidade deve ser igual para todos.

É bom lembrar também que Deus é justo e nos vê com igualdade, o que determina a nossa colheita boa ou ruim no futuro são as nossas  ações, então quem somos nós para julgar alguém?

Vamos procurar evoluir sempre como seres humanos e entender que todos estamos aqui para aprender. Como é citado no Livro dos Espíritos todos estamos suscetíveis a progredir. Na questão 222 de O Livro dos Espíritos, Kardec pergunta:

Por que há selvagens e homens civilizados? Se tomardes uma criança hotentote recém-nascida e a educardes nas escolas mais renomadas, fareis dela algum dia um Laplace ou um Newton?

Os espíritos respondem:

Em relação à sexta questão, sem dúvida se dirá que o hotentote é de uma raça inferior. Então perguntaremos se o hotentote é ou não é um homem. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdados de privilégios concedidos à raça caucásica? Se não é um homem, por que procurar fazê-lo cristão? A Doutrina Espírita é mais ampla que tudo isso; para ela não há diversas espécies de homens, há apenas homens cujos Espíritos estão mais ou menos atrasados, todos, porém, suscetíveis de progredir.

deixe um comentário

WhatsApp chat