Perda de um ente querido – Evangelho Segundo o Espiritismo

perda de um ente querido

Como lidar com a perda de um ente querido? Como a doutrina espírita ajuda a compreendermos este momento?

Antes de mais nada, sabemos que na vida temos altos e baixos. E um dos processos mais difíceis é: a perda de um ente querido. Vivenciar esta separação é infelizmente algo inevitável na vida, que mais cedo ou mais tarde todos irão passar.

Embora cada pessoa reaja de uma maneira diferente, a perda de um ente querido, é uma das dores mais profundas que podemos sentir.  A ausência do convívio diário, saber que não vamos mais conversar, ver a pessoa acabando gerando a dor.

A doutrina espírita nos ensina que a dor faz parte de um processo da condição humana. Porém, aprender a superá-la é algo que não é fácil, além de levar tempo de adaptação e aceitação.

Doutrina espírita e perda de um ente querido

O espiritismo além de ser consolador, nos ensina que estamos no planeta Terra apenas de passagem, ou seja, estamos aqui para aprendermos com as provas e expiações, e assim, evoluir.

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, o espírito Sansão, escreveu:

“A morte prematura é quase sempre um grande benefício, que Deus concede ao que se vai, sendo assim preservado das misérias da vida, ou das seduções que poderiam arrastá-lo à perdição. Aquele que morre na flor da idade não é uma vítima da fatalidade, pois Deus julga que não lhe será útil permanecer maior tempo na Terra.”

E completou:

“(..) Nada se faz sem um fim inteligente e, seja o que for que aconteça, tudo tem a sua razão de ser (..)

Portanto, nada acontece por acaso. Tudo o que acontece tem uma razão. E ainda, a vida do Espírito não se mede pela duração da existência terrena, muitas vezes, os poucos anos de vida podem ser produtivos.

Como lidar com a perda de um ente querido?

É natural sentirmos falta daqueles que partiram. Entretanto, não podemos nos desarmonizar com esta saudade porque estamos em um universal intimamente ligados.

O espiritismo nos ensina também que as dores dos que ficam na Terra afetam os Espíritos que partiram. Por isso, é preciso desejar aos que desencarnados: felicidade na nova etapa de suas vidas, sendo que, ao mesmo tempo é necessário equilibrar as nossas emoções.

Em síntese, lembre-se que a morte não é o fim, e sim, o começo. Com isso, é preciso desejar que o desencarnado tenha uma vida tranquila no plano espiritual.

E ainda, devemos nos lembrar sempre dos momentos de paz, de luz que tivemos com a pessoa. E ter a certeza que é sempre um “até logo”. Pense no ente querido sempre com carinho e direcione a ele: prece sinceras, vibrações positivas.

Saiba mais sobre a perda de um ente querido no programa Boletim, da TV Mundo Maior:

Fonte: Blog Mundo Maior

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

leave a reply

WhatsApp chat