QUER RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS?

-->

“Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.” André Luiz

Artigos

Quando as coisas estão bem, algo ruim vai acontecer?

Enviado em 7 de dezembro de 2016 | No programa: Desafios e Soluções | Escrito por Mário Mas | Publicado por Juliana Chagas

Você conhece pessoas que ficam preocupadas quando as coisas estão indo bem, achando que algo ruim vai acontecer? Elas presumem que existe uma ligação causal entre estar bem X acontecimento ruim!

Homem em floresta, com cabeça abaixada

Então, para não correr o risco do inconveniente, elas se protegem evitando falar das coisas boas que estão lhe acontecendo; às vezes não curte o que está ocorrendo; batem três vezes na madeira; ficam de sobreaviso. Isso dá a ideia de que elas não merecem ser felizes, que é errado acontecer coisas boas e por isso serão punidas com algo malfazejo.

Penso, até o momento, que não existe nenhuma associação entre um acontecimento bom, feliz e uma obrigatória consequência prejudicial. Por força das energias boas e da afinidade, as coisas boas atraem situações correlatas, como as ruins atraem seus equivalentes.

Quando algo bom está acontecendo não quer dizer que coisas desagradáveis não aconteçam na sociedade como doenças, desempregos, acidentes, guerras…  Por exemplo, uma pessoa avalia que está num bom momento, a maré está em alta para ela, arrumou um (a) namorado (a), conseguiu uma bolsa de estudo muito desejada, está feliz e com boas perspectivas. De repente recebe uma notícia indesejada no trabalho: foi demitida!

Uma pessoa supersticiosa faz a ligação entre a boa sorte e o azar como consequência e conclui: era muito bom para ser verdade! Alguém mais realista, concluiria que é algo natural. Não é por que esta pessoa está feliz e esperançosa que não esteja sujeita a demissão ou a um incidente. Portanto, não foi a felicidade que trouxe a demissão, mas outras questões como sua competência, o interesse da empresa, o mercado de trabalho, etc.

Acredito que uma pessoa supersticiosa faz uma mescla de sentimentos: euforia diante da coisa boa e o medo de perder, somado a sentimentos de desmerecimento e de inadequação. A culpa consciente ou inconsciente (aquela que vem do passado) faz o indivíduo se julgar culpado, errado, merecedor de punição.

 

Foto ilustrativa: pexels.com

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

Deixe seu comentário:

WhatsApp