Quem são os nossos espíritos obsessores?

“O Evangelho Segundo o Espiritismo” orienta que a obsessão é a ação persistente de um mau espírito sobre uma pessoa. Os obsessores podem agir também entre encarnado para encarnado e encarnado para desencarnado.

Estes espíritos conseguem fazer com que os obsediados pensem de forma semelhante a quem esta o perseguindo.Eles influenciam ainda as pessoas a agirem de acordo com os seus preceitos.

Desta forma, nos perguntamos quem poderia ser o espírito que pode estar influenciando nas nossas ações diárias? A resposta está nas atitudes que tomamos tanto como encarnados quanto desencarnados.

Quando temos algum tipo de desavença com outrem, ambos os envolvidos ficam numa energia afim, que os liga em toda a parte. Ou seja, se um desses encarnados desencarnar, a energia de obsessão deste espírito pode se “ligar” a pessoa que ficou encarnada, ou vice versa.

Portanto, os processos de obsessão estão diretamente conectados com a relação entre os envolvidos. O Evangelho alerta para o cuidado que devemos ter com o nosso espírito para não deixarmos “pontas soltas” e atrairmos obsessões para a nossa vida como encarnados.

“A obsessão é quase sempre a ação vingativa de um Espírito, e na maioria das vezes tem sua origem nas relações do obsedado com o obsessor, em existência anterior”, afirma o Evangelho.

O espírito obsessor é (ou foi) uma pessoa como qualquer um de nós. Ele pode achar que está fazendo “justiça” para a pessoa da qual ele está ligado energeticamente.

O livro “Ressurreição e Vida”, da médium Ivone Pereira, dá algumas dicas para saber se algum espírito está nos obsediando. Repare nos seguintes sinais:

Olhar fixo, esgazeado ou fugidio, sem encarar ninguém;

Tiques e cacoetes nervosos;

Desalinho ou desleixo na aparência pessoal – excentricidade;

Agitação, inquietude, intranqüilidade;

Medo e desconfiança injustificados;

Apatia, sonolência, mente dispersa;

Idéias fixas;

Excessos no falar, no rir; mutismo ou tristeza;

Agressividade gratuita, difícil de conter;

Ataques que levam ao desmaio, rigidez, inconsciência, contorções, etc.;

Pranto incontrolável sem motivo;

Orgulho, vaidade, ambição ou sexualidade exacerbados.

Para os encarnados, os casos de obsessão podem ser resolvidos num centro espírita. São locais preparados com profissionais especializados em conversar com a entidade e entender o porquê que aquela obsessão ocorre.

Além disso, é recomendável realizar terapias de regressão espiritual, rezas edificantes e agir no bem para acalmar o espírito obsessor. Quando você atua na positividade este obsessor poderá mudar de ideia para o espírito obsediado, deixando de exercer sua influência.

Fontes: Evangelho Segundo o Espiritismo e IAV.

Para saber mais sobre o assunto, assista:

 

 

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

leave a reply

WhatsApp chat