Rancor na visão espírita

rancor na visão espírita

O que podemos entender por rancor na visão espírita?

O rancor diz respeito a sentimentos negativos, emoções que não permitem que o rancoroso esqueça um acontecimento, uma situação, pela qual sentiu-se magoado, machucado. E ainda, o rancor não permite seguir em frente, “virar a página”.

Geralmente, o rancoroso está voltado a restabelecer o seu equilíbrio fazendo com que com o “culpado” pague pelo seu sofrimento. Por exemplo: filhos que possuem rancor por seu pai porque ele (pai) não ajudou a sua mãe. Com isso, o filho vai nutrindo cada vez mais rancor, fazendo com que este sentimento vire raiva, ódio.

Rancor na visão espírita

Jesus nos disse:

“Amai os vossos inimigos e orais pelos que vos perseguem”.

A partir desta passagem, Allan Kardec, fala em O Evangelho Segundo o Espiritismo:

(….)“Amar aos inimigos é não lhes ter ódio, nem rancor ou desejo de vingança. É não opor nenhum obstáculo à reconciliação. É desejar-lhes a mão prestativa em caso de necessidade. É abster-nos, por atos e palavras de tudo o que possa prejudicá-los. É, enfim, pagar-lhes em tudo o mal com o bem, sem a intenção de humilhá-los”.

Ou seja, ser rancoroso não leva a lugar nenhum, só traz infelicidade, sofrimento, por isso, é preciso aprender a lidar com a raiva, com o ódio, com o insulto. Devemos sempre nos lembrar das palavras de Joanna de Ângelis:

“Quem guarda rancor, coleciona lixo moral e, consequentemente, termina enfermando. O mal que te façam, não deve merecer o teu sacrifício. Se alguém deseja ver-te infeliz, age de forma contrária, vivendo com alegria. Se outrem planeja perturbar-te, insiste na posição de harmonia. Se aquele que se tornou teu adversário trabalha pela tua desdita, continua em paz. Para quem procura infelicitar os outros, a maior dor é vê-los imperturbáveis. Sê inteligente e não te desgastes à toa.”

Para finalizar, pergunta-se: rancor pode ser espiritual?

No quadro Boletim, da TV Mundo Maior, Paulo Henrique de Figueiredo disse que a alma possui características diferentes de um corpo físico

“A raiva, o medo, o prazer, a dor, são emoções do ser encarnado, ou seja, do corpo físico. O rancor não é de origem espiritual. O perispírito está relacionado com o que você pensa e sente, Mas estes são sentimentos puros (não emoções). O ser humano, muitas vezes, abusa das emoções e ao se deparar com algo que não gosta, não se conforma”.

Como foi citado acima, o rancor não leve a lugar nenhum, somente alimenta o ódio, a raiva, o ressentimento. E ainda, faz a pessoa sentir-se mal e infeliz. Como eliminar o rancor?

  • Converse com o outro; desabafe;
  • Aceitação: procura aceitar o que aconteceu; desprenda-se do ódio, da raiva;
  • Paz interior
  • Boas escolhas, segundo Paulo Henrique não podemos nos deixar levar por essas emoções.

“A pessoa deve se conscientizar de que ela é a causa desse comportamento”, Paulo Henrique.

Confira o programa Boletim e saiba mais sobre o rancor na visão espírita:

 

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

Você gostou deste conteúdo?

Todo o conteúdo produzido pela Fundação Espírita André Luiz é aberto e gratuito e, com a sua ajuda, sempre será.

Ao todo são transmitidas 180 horas mensais de programas ao vivo e 240 horas mensais de programas inéditos através de nossos canais de comunicação: Rádio Boa Nova, Tv Mundo Maior e Portal do Espírito. Nós acreditamos que o acesso aos ensinamentos da doutrina espírita muda o mundo, mas manter uma estrutura deste porte é muito caro, por isso a importância do apoio de nossos leitores.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que pessoas que não podem pagar pela informação continuem tendo acesso a ela.

Ajude o espiritismo a alcançar mais pessoas

Apoie essa causa <3

leave a reply

WhatsApp chat