Reconciliar com nossos adversários – Evangelho Segundo o Espiritismo

reconciliar com nossos adversários

Qual a importância de reconciliar com nossos adversários?

O mundo está cheio de pessoas com diferentes opiniões e maneiras de se comportar, e ainda, ninguém passa pela jornada terrestre sem o assédio da ignorância e as imperfeições humanas. Por isso, muitas vezes,essas diferenças geram conflitos entre amigos, familiares, colegas de trabalho, etc, criando assim, adversários.

Entretanto, mesmo diante daqueles que nos fere, que nos julga, temos que direcionar os nossos pensamentos sempre para o bem. No capítulo 10, de O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, nos apresenta a seguinte passagem:

“Reconcilia-te o mais cedo possível com o teu adversário, enquanto estás junto dele, para que ele não te entregue ao juiz, e este não te entregue ao seu ministro, para seres preso. Eu te digo, em verdade, que de lá não sairás enquanto não pagares até o último ceitil”. (Mateus, V:35-26)

Reconciliar com nossos adversários

A doutrina espírita nos ensina que somos seres evolução, por isso, as e expiações são necessárias para a nossa caminhada. Por isso, temos interpretar os nossos adversários como: irmãos de caminhada. Já que, as provas e as expiações para necessárias para a nossa caminhada, e os adversários, são aqueles que nos proporcionam treinamento no bem.

Jesus nos recomenda a reconciliar com nossos adversários o mais cedo possível para aproveitarmos as oportunidades que temos para nos desculpar, fazer as pazes com os outros. E ainda, conter as perturbações em existências futuras.

“Quando Jesus recomenda que se reconcilie o mais cedo possível com o adversário, não é simplesmente para evitar as discórdias na existência atual, mas para evitar também que elas se perpetuem nas existências futuras. Vós não saires de lá, diz ele até que tenhas pago até o último ceitil, ou seja, cumprido completamente a justiça de Deus”. (Evangelho Segundo o Espiritismo)

Portanto, reconciliar com nosso adversários, segundo os ensinamentos de Jesus, é:

  • reconhecer o oponente;
  • dar-lhe o direito de opinião;
  • harmonizar – se com todos os que lhes perseguem;
  • reconhecer suas qualidades;
  • lhe desejar o bem

Para finalizar, quando alguém lhe ofender não tenha reações precipitadas. E ainda, lembre-se que: a lamentação enfraquece o otimismo; a mágoa acaba com a esperança.

Diante de uma ofensa, use uma palavra que acalma, proceda sempre com bondade, paciência e serenidade.

Saiba mais sobre reconciliar com nossos adversários no programa Espiritismo Sem Mistério:

deixe um comentário

WhatsApp chat