Relacionamentos de vidas passadas

relacionamentos de vidas passadasQuantas vezes não escutamos casais apaixonados que falam que esse amor vem de outras vidas? O que a doutrina espírita tem a nos dizer sobre: relacionamentos de vidas passadas?

O tema “reencarnação” gera muita curiosidade entre as pessoas. O espiritismo nos ensina que a reencarnação é uma lei natural. E ainda, além dos reparos das nossas imperfeições, é possível evoluirmos.

Relacionamentos de vidas passadas

Temas como: reencarnação na mesma família e relacionamentos de vidas passadas estão em alta por conta da novela Espelho da Vida. Na novela, a personagem de Cris Valência viaja até a terra de natal de seu namorado, para protagonizar um filme que tem ele na direção. Ao chegar na cidade, Cris passa a pesquisar sobre a sua personagem, e se depara com uma de suas vidas passadas.

Leia mais: Um espírito pode reencarnar na mesma família?

Além de descobrir que seus pais foram os mesmos da encarnação passada. Ela descobre que seu atual namorado foi seu pretendente e que não pôde viver o relacionamento que desejava (com outra pessoa).

Diante disso, podemos perguntar: é possível identificar na encarnação atual as pessoas que nós tivemos contato nas vidas passadas?

De acordo com André Marouço, é possível, a partir de uma análise criteriosa sobre os gostos, desejos, empatia e antipatia.

Leia também: Vidas passadas: por que não recordamos?

Em relação, por exemplo, do que é mostrado na novela. É possível que um amor possa ser vivido ao longo de diversas encarnações?

André Marouço no programa Boletim disse:

“Eu prefiro perguntar: É possível que uma relação sentimental se arraste ao longo das encarnações? do que o amor”.

Completou:

Porque o amor, tal qual, os espíritos superiores nos ensinam, está bastante distanciado dessa visão romantizada. O amor é muito mais do que isso.

Quando Allan Kardec indaga aos espíritos superiores sobre o que seria de fato o amor, em um determinado momento, eles dizem:

‘É melhor vocês não se preocuparem porque vocês não tem condições, de fato, entenderem o que é amor’.

Na maior parte das vezes, as pessoas se relacionam em um ciclo longevo. Advindo de outras experiências encarnatórias.

Ainda no programa, André falou sobre o nosso atual estágio evolutivo.

“Como nós estamos no segundo estágio da evolução que é o de provas e expiações, nós erramos mais do que acertamos. Ou seja, nas nossas relações nós erramos mais do que acertamos, e às vezes, esses equívocos são necessários para que não haja erros mais graves.

Então, é bastante comum que as criaturas que estão ali, em nosso ambiente familiar, mais próximas de nós, sejam criaturas que já tivemos algum tipo de relação no passado. E que há um amadurecimento do trato entre nós para que essa relação seja cada vez mais assertiva”.

Já em relação ao chamado “felizes para sempre” que é mostrado em novelas, filmes, livros, André disse:

“Em mundo de provas e expiações não existem relações perfeitas, onde as pessoas se entendem maravilhosamente o tempo inteiro, que um parceiro entende o outro, etc.

E ainda, na novela a personagem de Cris, apesar de ser proibida de se relacionar com aquele que gostava, viveu o que desejava. Entretanto, o relacionamento terminou de forma trágica: o pretende que seus pais a apresentaram atirou no homem que ela gostava.

É possível que quando uma relação é interrompida (morte, desastre), ela se dê um novo início em uma nova encarnação ou não?

“Depende da necessidade desse retorno, de que forma as criaturas envolvidas nesta relação, podem crescer ou não individualmente ou coletivamente a partir da necessidade desse retorno”, André Marouço

Saiba mais sobre o assunto

 

 

 

 

 

 

Por Juliana Chagas 

Jornalista e produtora da Rádio Boa Nova

leave a reply

WhatsApp chat